Passar para o Conteúdo Principal Top

museus de Ponte de Lima

Museu_Brinquedo

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu do Brinquedo Português representado em exposição na Estação Viana Shopping

Exposicao mbp vianashopping 1 1024 1000
20 Setembro 2017

O Museu do Brinquedo Português de Ponte de Lima encontra-se representado na exposição intitulada "Coleções Secretas da Região by Dina Maciel Costa" na Estação Viana Shopping, em Viana do Castelo.

Trata-se de uma exposição realizada no âmbito da 2ª edição do "Pulsar Viana", um programa cultural que pretende dar continuidade à aposta do Centro como um espaço de partilha e divulgação da arte tradicional da região.

O "Pulsar Viana" dá visibilidade a coleções pouco conhecidas do grande público, através dos olhares contemporâneos de artistas conceituadas da região.

Esta exposição "Coleções Secretas da Região by Dina Maciel Costa" estará em exibição no Estação Viana Shopping, de 16 de setembro a 03 de novembro, com a curadoria da artista plástica Dina Maciel Costa que elegeu diversas imagens de peças das coleções secretas do Museu do Brinquedo Português, em Ponte Lima, do Navio Hospital Gil Eannes e do Museu de Olaria de Barcelos.

 

Dina Maciel Costa

Dina Maciel Costa, natural de Viana do Castelo, licenciada em Direito, detentora de um percurso multifacetado e uma elasticidade vocacional que a levou inevitavelmente a explorar novas linguagens e áreas de conhecimento passando pelo Teatro, Literatura e nos últimos anos o Desenho e Ilustração.

Atualmente divide o seu tempo entre a Desenho/Ilustração e o movimento literário Edições Sim!

No que respeita à expressão plástica em finais de 2011 começou por explorar a disciplina do desenho de forma autodidata e contínua, investindo de forma crescente na aprendizagem de técnicas de aperfeiçoamento do traço (quer a partir de fotografias, registo, bem como exercícios de desenho de memória). A paixão pelo desenho e a surpresa constante são a força motriz para a sua evolução. A sua primeira exposição data de Abril de 2014, no âmbito do Inauguro 27, a convite do Viana Welcome Center, com uma série de desenhos que retratam de forma sensível e humanista o clima gerado pela polémica subconcessão dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo, exposição esta que teve como título "ENVC- o despedimento colectivo" e aborda de forma muita direta o impacto gerado na população local, a atmosfera social vivida à data. Um dos seus trabalhos (the old man who lives in my brain) foi ainda no decurso do mês de Abril selecionado pelo júri para integrar a segunda exposição coletiva da Shair, plataforma de artistas emergentes da DST.

Em 2014 brinda o público com uma exposição sobre as narrativas da Faina Maior e as memórias coletivas de uma comunidade piscatória que apresentou também numa participação internacional em Hendaia, entre outras.

Em 2016 participa no Pulsar Viana a convite do Viana Welcome Center com o celebra o universo vianense com as referidas narrativas dos pescadores da Faina Maior, até às garridas e pitorescas celebrações d'Agonia.

Em 2017 o Pulsar Viana lança de novo um desafio à artista que está atualmente a preparar um trabalho que é uma dança entre o burlesco, o irreverente, o desconforme e caricato do figurado barcelense.

A artista é reconhecida pela sua capacidade de captar em poucas manchas o essencial: um registo de comicidade, num estilo festivo, garrido, profundo, incisivo, único e autêntico.