Passar para o Conteúdo Principal Top

museus de Ponte de Lima

CIHM

Centro de Interpretação da História Militar de Ponte de Lima – Inauguração Por sua Excelência o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa | Sábado - 10 de setembro – 12 horas

Cihmpl banner 1 1024 1000
08 Setembro 2016

O Centro de Interpretação da História Militar de Ponte de Lima, instalado no Paço do Marquês, vai ser inaugurado oficialmente pelo Presidente da República, Prof. Dr. Marcelo Rebelo de Sousa, no próximo sábado, 10 de setembro, às 12 horas.

O Centro de Interpretação da História Militar de Ponte de Lima, instalado no Paço do Marquês, vai ser inaugurado oficialmente pelo Presidente da República, Prof. Dr. Marcelo Rebelo de Sousa, no próximo sábado, 10 de setembro, às 12 horas. A cerimónia contará também com a presença o Chefe do Governo de Andorra, Antoni Martí.

O edifício do Paço do Marquês, situado em pleno centro histórico de Ponte de Lima, vai transformar-se num espaço museológico, resultado de um protocolo celebrado entre o Município de Ponte de Lima e o Exército Português.

O espaço pretende ser um museu vivo, interativo, abordando a história militar também no contexto da região e do país, mas com uma incidência especial sobre Ponte de Lima e o território circundante.

Desta forma, a preocupação central deste Centro de Interpretação é o conhecimento da história local, dos seus lugares, suas gentes e protagonistas, procurando perpetuar memórias de factos históricos relevantes e consciencializar as populações de hoje para a importância desses episódios, bem como a necessidade de se envolverem efetivamente num projeto que é de todos os ponte-limenses e que engloba todo o território do concelho.

Este novo equipamento enquadra-se na estratégia de promoção de uma rede de equipamentos de vocação cultural e turística, de promoção dos recursos endógenos, do património histórico e religioso local.

O programa da visita presidencial inclui ainda assistir ao tradicional Cortejo Etnográfico, na Avenida António Feijó, a partir das 16 horas, o que com certeza será um estímulo acrescido para que cada freguesia se esmere na sua apresentação, sendo este um dos principais momentos dos usos, costumes e tradições, que as Feiras Novas preservam.