Passar para o Conteúdo Principal Top

museus de Ponte de Lima

Museu_Brinquedo

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Museu dos Terceiros_Miguel Costa

Alto Minho 4D: Viagem no Tempo

05 Mai '18
Banner portas do tempo 1 970 2500
A herança romana deixada na região do Alto Minho é o tema da terceira Porta do Tempo, que se vai abrir no próximo dia 5 de maio, em Ponte de Lima.
 
Promovida pela CIM Alto Minho, no âmbito do projeto “Alto Minho 4D: Viagem no Tempo”, a apresentação da porta contará com uma conferência dedicada à cultura romana e uma visita performativa junto à Ponte Romana que atravessa a vila.
 
A herança que os romanos nos deixaram no nosso património cultural e arquitetónico, assim como as transformações ocorridas à época na sociedade, serão os pontos de partida para a conferência sobre a “Rota do Romano”, que terá lugar no sábado, 5 de maio, pelas 11 horas, no Auditório Municipal de Ponte de Lima. A abordagem estará a cargo de Brochado Almeida, professor emérito da Universidade do Porto e de Rui Morais, professor da Universidade do Porto.
 
A participação na conferência é gratuita, mas implica inscrição prévia no site da CIM Alto Minho: www.cim-altominho.pt.
 
No período da tarde, pelas 15h00, será efetuada uma visita performativa, com partida junto à Igreja de Santo António, e, a partir das 16h30, uma visita de estudo à Ponte Romana e aos miliários de Faldejães, que se encontram relativamente próximos da ponte, junto ao Caminho de Santiago.
 
Durante o dia, e integrando também o programa, um grupo de sketchers percorrerá aquela que é a vila mais antiga de Portugal, no registo de pormenores do património de Ponte de Lima, no âmbito da ação “Sketching com História”.
 
Depois da primeira paragem em Caminha, no passado dia 10 de março, e da segunda porta em Monção, no dia 7 de abril, o projeto “Viagem no Tempo: Alto Minho 4D” chega agora a Ponte de Lima. A rota escolhida foi a do Romano, bem marcada na ponte, que carateriza a vila e lhe dá parte do nome. Embora com um troço medieval, a atual ponte mantém parte da ponte romana: são cinco arcos a partir do grande arco que está em leito seco. A data apontada para esta ponte é o século I, uma vez que foi nessa época que se procedeu à abertura do trajeto de uma das vias militares do antigo "Conventus Bracaraugustanus", que ligava Braga a Astorga, neste caso a Via XIX, mandada abrir pelo Imperador Augusto. 
 
Estas e outras abordagens serão apresentadas na visita de estudo, que será efetuada ao local no período da tarde do primeiro sábado de maio.
 
Depois de Ponte de Lima, as Portas do Tempo serão abertas nos restantes sete concelhos do Alto Minho, dinamizando uma atividade por mês em cada município. Assim, no dia 16 de junho, Ponte da Barca acolhe a “Rota do Românico”; no dia 22 de setembro, Valença recebe a “Rota dos Castelos e Fortalezas”; Melgaço, no dia 20 de outubro, a “Rota dos Mosteiros”; Viana do Castelo, a 17 de novembro, a “Rota dos Descobrimentos”; Arcos de Valdevez, no dia 8 de dezembro, a “Rota do Barroco”; Paredes de Coura, a 12 de janeiro de 2019, a “Rota da Arquitetura Tradicional”; e, finalmente, a viagem termina em Vila Nova de Cerveira, no dia 9 de fevereiro do próximo ano, com a “Rota do Contemporâneo ao Futuro”.
 
De recordar que o projeto “Alto Minho 4D – Viagem no Tempo” foi aprovado pelo Programa Operacional Regional do Norte – Norte 2020, no domínio do “Património Cultural”, e pretende criar uma rede de 10 rotas/ itinerários cronológicos culturais baseados na história e nos bens patrimoniais do Alto Minho. Com esta iniciativa intermunicipal, cada um dos concelhos do Alto Minho encabeçará uma dessas rotas que funcionará como o “portal” de acesso a uma “estação do tempo” (um núcleo museológico que funcionará num determinado espaço físico), que irá dispor de uma série de valências e no qual se apresentará uma sequência de recursos patrimoniais alusivos a essa rota e a serem visitados não só nesse concelho, mas em todo o território, promovendo-se um circuito (touring) cultural pelo Alto Minho e, consequentemente, a mobilidade turística na região.